Gonzalo Higuaín chegou ao Milan em um dos grandes negócios desta janela de transferências. O argentino corria riscos de perder espaço na Juventus com a contratação de Cristiano Ronaldo e possuía boas ofertas para retomar o protagonismo. Maurizio Sarri era um dos mais interessados em seu futebol e desejava levá-lo ao Chelsea. Entretanto, o centroavante sentiu que apenas a vontade do treinador era pouco para se mudar a Stamford Bridge. Assim, optou pelo Milan, como a grande referência ofensiva que os rossoneri não tinham nos últimos anos. Em sua chegada, o camisa 9 falou sobre a motivação e a adaptação no novo clube.

“O carinho que tenho por Sarri não é novo. No entanto, a única pessoa que me queria no Chelsea era ele. Todo mundo queria que eu viesse para o Milan. A melhor coisa como jogador é a motivação e a confiança que levam você a um lugar. Milanello tem tudo que um jogador quer ver: vários campos, história e futebol na forma mais pura. Isso te arrepia, é algo especial. Conheço Reina bem e acho que o Milan tem um grande time. Joguei com Biglia por 10 anos na seleção, tenho muito respeito por ele e é ótimo vê-lo novamente. Estou feliz no novo desafio”, declarou o atacante.

Higuaín também enfatizou a maneira como a mudança na gestão do Milan foi fundamental para que sua transferência se concretizasse. O argentino negociou diretamente com Leonardo, novo diretor de futebol dos rossoneri, que tratou de mostrar o projeto. Nas últimas semanas, o fundo de investimentos Elliott Management tomou para si o controle do clube, após os atrasos no pagamento dos empréstimos feitos pelo empresário chinês Li Yonghong, antigo proprietário.

“Gostaria de agradecer ao Milan pelo grande esforço que fizeram para me trazer aqui. É um grande desafio para mim. Espero retribuir a fé que demonstraram. Cheguei a um clube com história imensa. Decidi vir para cá, gosto de tudo que tenho visto e os torcedores merecem que o Milan volte para onde sempre esteve. Já conhecia o Leonardo, ele teve muito a ver com minha chegada. Suas palavas me convenceram. Eu vi honestidade e confiança em seus olhos. Agradeço a ele por isso. Ele foi importante, assim como o Elliott Management, que mostrou sua convicção em levar o Milan de volta ao topo”, apontou.

Além disso, Higuaín assegurou que não havia qualquer problema de relacionamento na Juventus para deixar o clube, da mesma maneira como a chance de atuar novamente com Cristiano Ronaldo não representava uma motivação tão grande. Seu desejo maior é ajudar o Milan a se reerguer.

“Trabalhei com Allegri por dois anos, tivemos nossas diferenças, mas elas não me levaram a deixar o clube. Também já joguei com Cristiano Ronaldo, não seria algo novo. A única motivação foi o que o Milan me mostrou. Tenho muita confiança nesse time, gosto da maneira como jogaram na última temporada. Eu joguei por times que sempre esperam vencer e é isso o que acontece aqui. O desafio é tornar a equipe vencedora novamente. Vesti camisas pesadas, então a número 9 rossonera não é um problema. É uma fonte de orgulho. Apenas quero provar a Leo e ao clube por que eles fizeram este investimento. Se o time acreditar que pode ir longe, irá. Precisamos ter grande confiança”, finalizou.