O técnico Jürgen Klopp se tornou conhecido pelos seus feitos pelo Borussia Dortmund e agora também pelo Liverpool, com bons trabalhos. Mas além disso, ele também é um grande personagem, autor de grandes frases. E o confronto do Liverpool contra o Manchester City, nesta quarta-feira, pela Champions League, tem criado muita expectativa. É o confronto entre dois times muito ofensivos, que costumam correr muito. Klopp é talvez o técnico que mais dificulta a vida de Pep Guardiola ao longo da carreira e o próprio treinador alemão falou sobre as diferenças entre eles e seus times.

ODDSSHARK: Champions League: Manchester City testa condição de favorito diante do Liverpool

Sobre duelo com o Manchester City

“Eu pensei: ‘É claro que teria que ser eles’ por algumas razões. Eu nunca penso realmente nos sorteios, mesmo que sempre me perguntem que adversários eu gostaria de enfrentar. Mas eu na verdade não me importo nem um pouco”, disse Klopp.

“Havia apenas dois times que eu gostaria de não enfrentar, idealmente. Manchester City, porque na minha opinião uma das coisas mais legais da Champions League é jogar em outro país. O outro time é o Sevilla, já que nós já jogamos lá”, disse o técnico alemão. “Eu vi a reação de Guardiola e ele também não estava feliz. Nós conhecemos um ao outro muito bem”.

“Eu diria que de todos os jogos, e cada um é ótimo do seu jeito, se eu fosse um expectador neutro eu escolheria esse jogo. Para aqueles que viram os nossos dois jogos na Premier League este ano, e nos últimos anos desde que Pep chegou e, para ser honesta, também antes da sua era, eles sabem que é sempre uma partida empolgante. E esta é a forma como o futebol deveria ser”, continuou.

“O foco principal não será no resultado, ao invés disso será sobre fazer coisas melhor que o adversário, porque você não pode simplesmente defender contra o Manchester City e esperar que eles não marquem naquele dia. Eles são muito bons”, afirmou o treinador do Liverpool.

Como vencer o City?

“O modo como nós atacamos o adversário, o modo como nós defendemos alto é desagradável [para nossos adversários]. Se nós fizermos isso, eles terão alguma dificuldade de lidar com isso. Eu acho que haverá muitos técnicos ao redor do mundo assistindo a esses jogos para encontrar uma solução para como jogar bem defensivamente e fazendo isso também dá a chance de se tornar perigoso no ataque contra os melhores times como Barcelona e Manchester City. Será empolgante. Não há garantias que isso irá funcionar. No fim, os rapazes em campo é que decidirão o jogo”, afirmou Klopp.

A comparação com Guardiola

“Os times dele são sempre excelentemente posicionados. Ele sempre tem grandes times que faz excelentes decisões. No Barcelona era Xavi, Iniesta, Busquets, Lionel Messi e assim continua, sem mencionar a criatividade de jogadores do seu tempo lá”, avaliou Klopp. “No Bayern ele tinha jogadores fantásticos que fizeram muitas grandes decisões. Agora, com Gündogan, Silva, Agüero, Sané, Sterling e Gabriel Jesus, eles são extraordinários”.

“Posicionamento é sempre importante, mas não é bruxaria. Não é incomum apenas porque os laterais vêm por dentro, mas quando os jogadores estão em posição eles se movem a cada milissegundo para se mostrarem disponíveis. E quando eles estão, isso é quando a qualidade individual do jogador se torna importante”, continuou Klopp.

“Então, quando eles estão bem posicionados no campo, eles sabem o que está acontecendo, eles são muito bem orientados e eles podem passar a bola à próxima área. É isso que os torna extraordinários. Quando eles não podem passar, eles usam a sua velocidade para progredir e então o espaço na ponta fica livre”, disse Klopp.

Perguntado sobre a diferença do estilo dos seus times com os de Guardiola, o técnico respondeu de forma curiosa. “Não há grande diferença, na verdade. É apenas que Pep sempre teve times melhores que eu. Você pode ver agora com o Manchester City – eles têm muito mais pontos [na Premier League] que nós temos. Contudo, a diferença nunca foi tão pequena quanto agora. Quando nós treinávamos Bayern e Dortmund respectivamente, a diferença era realmente grande”, disse Klopp.

“E quando ele estava treinando o Barcelona eu estava no Mainz, então era uma situação completamente diferente. Eles têm muito mais posse de bola do que eu já tive na minha carreira de técnico. Eles sempre foram times de classe mundial e nós sempre tivemos que improvisar um pouco. Quando você tem mais posse de bola, você não precisa se preocupar demais sobre quando o oponente tem a bola”, disse o treinador.

Anfield

“É incrivelmente importante e eu estou também feliz por estar aqui. Nós já vivemos algumas daquelas noites europeias mágicas e isso é simplesmente incrível. E desta vez será fantástico novamente. Contudo, isso sozinho não irá ajudar”.

Mohamed Salah

“Eu acho que Salah fez progressos nesse time através do modo como o time joga e o modo como os outros rapazes interagem com ele no campo: o modo como eles procuram por ele como um jogador tão importante e o modo como todo mundo sem egoísmo tenta coloca-lo no jogo. O trabalho defensivo é feito por ele, de modo que ele regularmente esteja em posições de marcar gols”.

“Alguns dos seus gols ele teve que passar por cinco jogadores, então eu não posso dizer que ele aproveitou o que os outros fizeram, mas com muitos dos seus outros gols ele aproveitou isso. E eu acredito que essa interação permitiu a ele dar o próximo passo, então tudo foi bem até aqui”.

Amor por futebol

“Tudo, eu diria. Tudo sobre o jogo de futebol, não tudo sobre o negócio de futebol. Mas o jogo: são 11 pessoas fazendo um ao outro melhor, trabalhando juntos, lutando juntos pelo outro, jogando, quando você é bom, pedaços incríveis de futebol. Todos os desafios, todos os chutes, todos os cruzamentos, todos os carrinhos, todas as questões sobre o jogo, eu amo”.

Liverpool x Manchester City
Quarta-feira, 4 de abril, 15h45
Na TV: Esporte Interativo