Álvaro Morata deixou o Real Madrid rumo ao Chelsea em 2017 com a expectativa de, finalmente, ter a chance de ser o titular de um grande time. Ele tinha vivido isso por um curto momento na Juventus, onde jogou mais, e voltou ao Real Madrid para ser o reserva do estelar ataque merengue. Seu desempenho quando entrava em campo sugeria que ele estava pronto para brilhar. O jogador, de 25 anos, teve um ano ruim pelo Chelsea, ficou fora da lista de convocados da Espanha para a Copa do Mundo e confessou que pensou em deixar o clube.

LEIA TAMBÉM:O Chelsea precisou perseverar para romper a barreira do Bournemouth e seguir 100%

“Eu pensei em jogar novamente na Espanha ou Itália. É claro que eu pensei que seria feliz, mas você nem sempre pode escapar da realidade”, afirmou Morata. “Foi um desastre na temporada passada, eu não sei onde estava, eu não estava feliz. Eu vim para o Chelsea para estar lá [Copa do Mundo na Rússia] e eu não fui, embora isso tenha me motivado”.

“Eu não guardo nenhuma mágoa contra Lopetegui, eu vivi muitas coisas boas com ele também, foi a opinião dele e eu não tive minha melhor temporada também. Mas eu não guarda mágoa de ninguém, eu desejo a ele todo o melhor e mais agora que ele está no Real Madrid”, disse o atacante espanhol.

O atacante está na lista do técnico Luis Enrique para os jogos da Espanha na Liga das Nações contra Inglaterra e Croácia. Ele disse que dava como certo que estaria na Rússia e quando não foi convocado, ficou desolado. “Eu vivi isso, foi um momento muito duro que já aconteceu e não vale a pena olhar para o passado. Eu vou fazer tudo para poder estar na próxima, foi um momento difícil porque eu pensei que iria”, contou.

“Quando você começa jogar futebol e assiste a Copa do Mundo na TV, é seu maior sonho jogar pelo seu país, eu tive um momento muito ruim, eu queria que meus companheiros de time vencessem, mas é claro que eu queria estar lá e por isso foi um momento difícil”, disse Morata. “Houve momentos que eu parei de valorizar vir aqui, você não pensa sobre isso até que você vê os jogos da seleção nacional da sua casa e você sabe que é a melhor coisa estar com a Espanha, eu espero vir para todos os jogos”.

O ano foi tão ruim que Morata decidiu até mudar o número da sua camisa, para tentar melhorar a sua sorte. Abandonou a camisa 9 – que antes dele foi de Fernando Torres, outro que não teve uma boa passagem pelos Blues – e vestiu a 29. Por enquanto, o desempenho segue, no máximo, razoável. Em cinco jogos, um gol e ainda sem uma grande atuação. Ele segue firme em busca de uma melhora de desempenho.

A começar pelo jogo da Espanha na Liga das Nações. Sem Diego Costa, há uma boa chance de Morata ser o titular da Espanha no ataque. Uma Espanha renovada, com algumas caras novas e sem ícones dos últimos anos, como Gerard Piqué, Andrés Iniesta e David Silva. Talvez uma chance para Morata achar o seu caminho e embalar na volta ao Chelsea, agora comandado pelo técnico Maurizio Sarri.