Não foi nada fácil, e a torcida no Estádio Santa Cruz ficou angustiada até os 47 minutos do segundo tempo. O Botafogo de Ribeirão Preto empatava com o Botafogo da Paraíba, e a derrota na partida de ida por 1 a 0 acabava com suas chances de subir à Série B. Até Caio Dantas estufar as redes para empatar o confronto. E, nos pênaltis, a Pantera conseguiu retornar à segunda divisão.

O Botafogo de Ribeirão Preto foi vice-campeão da Série B em 1998. No ano seguinte, ficou em 20º lugar na elite e disputou o Módulo Amarelo da Copa João Havelange. Chegou às oitavas de final e foi para a elite em 2001. Em seguida, vieram dois rebaixamentos seguidos, e a última participação da equipe paulista na Série B foi em 2002. Treze anos depois, com a vaga nas quartas de final do Paulista, o Botafogo disputou a Série D e acabou conquistando seu primeiro título nacional.

A primeira chance de voltar à Segundona apareceu logo em 2016, mas o Botafogo foi derrotado por 1 a 0 no agregado, pelo ABC, nas quartas de final. Na temporada seguinte, ficou fora do mata-mata no saldo de gols. Mas neste ano passou com a melhor campanha da primeira fase e a liderança do Grupo B. Na Paraíba, perdeu do xará por 1 a 0 e precisava buscar o resultado no Estádio Santa Cruz.

O Botafogo paulista dominou a partida. E o gol só não saiu antes por causa da grande atuação do experiente goleiro Saulo, ex- Santos. Aos 6 minutos, Pimentinha cruzou para a área e Saulo trabalhou muito bem. No outro lado, Tiago Cardoso também teve que intervir para bloquear a bomba de Hiroshi. Assim que a partida foi reiniciada depois do intervalo, Saulo fez outra defesa, barrando Pimentinha.

Os donos da casa continuaram pressionando e errando as finalizações. A situação ficou teoricamente mais tranquila, aos 24 minutos, quando Fábio Alves foi expulso, ao receber o segundo cartão amarelo. Os paraibanos fecharam-se ainda mais, dificultando que o adversário criasse muitas oportunidades claras. Saulo voou para defender a cabeçada de Élder Santana e evitou o empate do confronto.

No entanto, como se estivesse desabafando depois de tantas chances perdidas, a bola chegou a Caio Dantas, na marca do pênalti, aos 47 minutos do segundo tempo, e ele encheu o pé com toda a força para furar o muro formado por Saulo e levar a partida para os pênaltis. As seis primeiras cobranças foram convertidas. Juninho mandou na trave para o Botafogo paraíbano, mas Saulo defendeu a batida de Everton Santos.

Na sequência, Tiago Cardoso barrou Marcos Aurélio, que havia desperdiçado a chance de ampliar o placar do jogo de ida ao errar um pênalti, e Felipe Augusto colocou o Botafogo de Ribeirão Preto na segunda divisão.