A Série B conheceu o seu primeiro classificado para a elite do futebol brasileiro. O América Mineiro venceu o Figueirense, por 2 a 1, no Orlando Scarpelli, e não pode mais ser alcançado pelo quinto colocado Oeste. Soma nove pontos e quatro vitórias a mais que o clube paulista, a três rodadas do fim da Segundona. Além disso, graças ao empate do Internacional com o Vila Nova, o Coelho assumiu a liderança e, agora, mira o título.

LEIA MAIS: A gangorra do Brasileirão: promovidos em 4º duram pouco; rebaixados em 17º voltam rápido

Seria o segundo da Série B conquistado pelo América Mineiro, que, em 1997, conquistou o seu primeiro título nacional liderando o quadrangular final, com vitória por 1 a 0 sobre o Vila Nova, no Estádio Independência. O Coelho, com dois pontos a mais que o Internacional, encara Juventude e CRB, em casa, e viaja ao Café para enfrentar o Londrina. O Colorado, ainda precisando sacramentar o seu acesso, enfrenta Oeste (fora), Goiás (fora) e Guarani (casa).

O América Mineiro fez uma campanha muito sólida na Série B. Perdeu somente cinco vezes, nunca por mais de dois gols de diferença, e tem a melhor defesa da competição: foi vazado 25 vezes em 35 rodadas. Entre a metade de junho e o começo de agosto, o Coelho teve uma ótima sequência de resultados que contribuiu para o acesso. Em dez partidas nesse período, venceu oito e empatou duas.

A vaga foi garantida com vitória por 2 a 1 contra o Figueirense, fora de casa, a terceira seguida no torneio. Todos os gols saíram no primeiro tempo. Rafael Lima, logo no comecinho, testou para as redes. Jorge Henrique, aquele mesmo, desviou de cabeça, apesar da sua baixa estatura, para empatar. No último lance do primeiro tempo, Gérson Magrão tocou para Giovanni fechar o placar.

O acesso representa uma conquista especial para o técnico Enderson Moreira. Moreira despontou com a conquista da Série B no comando do Goiás e ganhou as suas chances no circuito dos grandes clubes do país. Passou por Grêmio, Santos, Atlético Paranaense e Fluminense, sem conseguir se firmar, e retornou para o Goiás. Ano passado, assumiu o América Mineiro, clube no qual já havia trabalhado nas categorias de base e como preparador físico.

A sua principal missão, evitar o rebaixamento, não foi cumprida. Mas Enderson, cujo contrato inicialmente duraria até o fim do Campeonato Mineiro deste ano, foi mantido no cargo. A aposta da diretoria do Coelho se provou correta, e Enderson devolveu o América Mineiro para o lugar onde o havia encontrado. Recupera um pouco a sua carreira que estava em curva descendente.

O América Mineiro tem três rodadas para conquistar mais um título nacional – também tem a Série C de 2009 – e preparar o ano que vem para não repetir os erros do passado. Nas últimas duas vezes em que o clube reapareceu na elite (2011 e 2016), foi rebaixado imediatamente. Ano passado, como lanterna e com apenas 28 pontos.