O Boca Juniors dominou o Campeonato Argentino ao longo dos dois últimos anos. Pode não ter apresentado o futebol mais vistoso, mas foi altamente competitivo e monopolizou o topo da tabela na liga nacional. O time de Guillermo Barros Schelotto de mantinha a primeira colocação ininterruptamente desde dezembro de 2016. Foram 617 dias e 46 rodadas como líder do Argentino, sequência encerrada nesta segunda-feira, durante visita a La Plata. O Estudiantes bateu os xeneizes por 2 a 0 e contou com um garoto para fazer a diferença. Matías Pellegrini era gandula do clube e duas temporadas atrás estava tietando Carlos Tevez. Agora, aos 18 anos recém-completados, virou carrasco dos boquenses.

Após uma fase de grupos bastante claudicante na Libertadores, o Estudiantes já indicava a sua evolução durante a vitória sobre o Grêmio nas oitavas de final. Os pincharratas contaram com alguns novos jogadores e promessas pedindo passagem. Enquanto Juan Francisco Apaolaza roubou a cena com seu golaço, Pellegrini vestia a camisa 8 e fazia sua segunda partida como titular contra os tricolores. Já o primeiro gol não poderia ser mais simbólico, quase duas semanas depois. Fabián Noguera abriu o placar contra o Boca e o prodígio fechou a conta a 15 minutos do fim. Arrancou da intermediária, fintou os marcadores e bateu cruzado na saída do goleiro Esteban Andrada. Um gol de quem sabe e já promete muito na equipe treinada por Leandro Benítez.

“No sábado à noite, estava dormindo em minha casa e acordei porque sonhei que fiz um gol no Boca”, revelou o garoto. A foto com Tevez aconteceu em 2016, pouco antes que os xeneizes iniciassem a sequência na liderança do Argentino. Nascido na região de La Plata, Pellegrini trabalhava na padaria da família e atuava em uma pequena equipe local, até desembarcar na base do Estudiantes há cinco anos. Vestindo a 10 e encantando por seu talento, ainda trabalhava como gandula nos jogos do time principal, mas já era visto como uma pérola. Não à toa, seu primeiro contrato, assinado ao lado do presidente Juan Sebastián Verón, veio com uma polpuda cláusula de rescisão: 20 milhões de euros pelo canhoto.

Pellegrini foi promovido aos profissionais na última pré-temporada, ocorrida durante a pausa para a Copa do Mundo, e impressionou tanto que virou titular logo de cara. Cria expectativas ao se sair tão bem em desafios de grande pressão. O Rosario Central lidera o Campeonato Argentino com seis pontos, enquanto o Estudiantes aparece em sexto, com três. Mas pelo trabalho que se inicia, se torna uma equipe a se acompanhar de perto ao longo dos próximos meses. A evolução já se evidencia.