Pouco a pouco, os cenários vão ficando mais claros nas divisões inferiores do Campeonato Brasileiro. Já sabemos quais os últimos times a disputar os acessos à Terceirona e à Segundona, embora a Série C tenha tido apenas duas partidas das quatro programadas para as quartas no último final de semana. Difícil entender essas tabelas. Por outro lado, na quarta divisão, os confrontos que vão definir o acesso foram finalmente definidos.

LEIA MAIS: Do céu ao inferno, Kieza deu esperanças ao Bahia, mas acabou determinante à virada do Vitória

Nos pontos corridos da Série B, a briga pelo acesso à elite segue boa, com cinco equipes separadas por dois pontos, e o rebaixamento parece mais ou menos definido: o Ceará precisa tirar oito pontos para o Macaé, se quiser se salvar. Falaremos sobre tudo isso daqui a pouco na nossa coluna “Brasil Além da Série A”, publica todas as terças, mas antes, calma que o pior time do mundo foi campeão.

Íbis campeão

Isso mesmo, o Íbis. Quando o clube pernambucano não está no Twitter tirando sarro dos grandes que sofrem goleadas, ou desafiando o Vasco para um duelo, suas categorias de base vão alcançando o brilho que o time principal nem sempre consegue. A conquista veio na Copa Olinda sub-15, no último domingo, na decisão contra o Santa Cruz. O Íbis venceu por 2 a 0 e levantou o caneco. Quem sabe daqui a alguns anos o pior time do mundo não tenha uma ótima geração para subir à elite do Campeonato Pernambucano?

Série D

Desconfiança se cura com gols

Kiros chegou outro dia ao Remo. Foi apresentado no meio de setembro e estreou em um amistoso, no dia 20 desse mês, contra o Castanhal. Estava há algum tempo sem jogar desde deixou o Porto (PE), pelo qual marcou 19 vezes em 19 partidas. Ótima média. Mas o clube paraense tinha pela frente as oitavas de final da Série D, com dois jogos decisivos contra o Palmas. Será que poderia mesmo se dar ao luxo de usar uma contratação recente, que estava há algum tempo sem jogar, desde que deixou o clube pernambucano? A desconfiança também vinha do passado do atacante de 1,95 metros, que havia sido artilheiro da terceira divisão pelo rival Paysandu. Bom, tudo isso ficou para trás. Depois de passar em branco no primeiro jogo, Kiros foi às redes duas vezes na vitória por 3 a 0 sobre o Palmas que levou o Remo às quartas. Faltam apenas dois jogos para o acesso.

Treino é treino, jogo é jogo

O Campinense havia perdido por apenas 1 a 0 no Paraná e jogava em casa com o objetivo de ganhar por dois gols de diferença para se classificar às quartas de final da Série D. Sabia que o placar magro indicava uma possibilidade real de a vaga ser decidida nos pênaltis. Treinou as cobranças, como o Operário deve ter feito também (fechou o último treino antes de viajar), e o principal destaque da semana foi o lateral esquerdo Felipe Ramon, com 100% de aproveitamento. No Estádio Amigão, o clube paraíbano conseguiu devolver o placar de 1 a 0, e como previsto, a classificação foi decidida a partir da marca do cal. Adivinha quem errou? Felipe Ramon. O goleiro Paulo Sérgio também defendeu o chute de Rodrigão e nem o erro de Rossi evitou que o Operário passasse de fase.

Caldense contra tudo e contra todos

A Caldense mostrou toda sua resiliência para avançar às quartas de final e marcar seu encontro com o Ypiranga-RS. Em casa, empatou com o Rio Branco-ES por 1 a 1. Foi ao Kléber Andrade, no Espírito Santo, precisando vencer ou empatar por mais de dois gols. Abriu o placar no comecinho e a vaga tornou-se uma questão de segurar o tranco. Mas Paulo Morais foi expulso aos 27 minutos do primeiro tempo, e o time mineiro precisou jogar mais de uma hora com um jogador a menos. Apesar da pressão do Rio Branco, prevaleceu a força de vontade da Caldense, vice-campeã mineira.

Série C

Quem montou a tabela das quartas de final merece um prêmio

As quatro partidas de ida das quartas da terceira divisão foram espaçadas em quatro datas diferentes, ao longo de dois finais de semana. Sábado, o Tupi-MG venceu o Asa por 2 a 0, e no domingo, Confiança e Londrina empataram sem gols. Na próxima quarta-feira, o Vila Nova recebe a Portuguesa no Serra Dourada, e apenas no outro sábado, Brasil de Pelotas e Fortaleza fecham a rodada.

Isso nem é o pior da história, mas Tupi e Asa, os primeiros a disputar as partidas de ida, serão os últimos a entrar em campo pela volta, após um intervalo de 16 dias. Por outro lado, Brasil de Pelotas e Fortaleza fazem o o primeiro jogo em 10 de outubro e o segundo sete dias depois. Porque, claro, a volta será realizada inteiramente no mesmo fim de semana.

Parabéns ao responsável pela tabela.

Série B

Sampaio Corrêa não se dá por vencido

Sexta-feira, estádio com mais de 20 mil pessoas, e um jogo decidido no último lance, após uma grande defesa do goleiro da seleção brasileira e uma bicicleta na trave: o que mais alguém poderia querer? Foi o roteiro do empate por 2 a 2 entre Sampaio Corrêa e Botafogo, no Maranhão. O clube carioca vencia por 2 a 1 até os 50 minutos do segundo tempo, quando um lance absurdo dos donos da casa arrancou o empate. Douglas Oliveira cabeceou para uma linda defesa de Jefferson. Jheimy pegou o rebote e armou a bicicleta do mesmo Douglas Oliveira, que acertou o travessão. No rebato, Edimar empatou.

Cinco minutos bastam para Fernando Neto

Após seis jogos sem vitória, o Macaé aproximava-se perigosamente da zona de rebaixamento e teve contra o ABC um confronto direto para evitar a degola. Venceu, graças a Fernando Neto. O meia entrou em campo aos 29 minutos para resolver. Na sua primeira jogada ofensiva, deu o passe para Pipico fazer 2 a 1. Pouco depois, marcou o seu gol, que deixa o Macaé com 34 pontos, a oito do Ceará, o primeiro clube da zona de rebaixamento. Alívio.

Golaço do Bocão e nove derrotas seguidas

Difícil entender por que o Boa Esporte não ocupa a lanterna da segunda divisão. Após um começo médio de Série B, o time mineiro emendou nove derrotas seguidas, contando a do último final de semana, para o CRB. Com o empate por 2 a 2 com o Atlético Goianiense, está há dez jogos sem somar três pontos. O último revés foi sacramentado pelos pés de Bocão, do clube alagoano, que marcou um golaço para fechar o placar de 3 a 1.