O River Plate abre a temporada sul-americana de 2015 como o primeiro campeão continental. A Conmebol finalmente se tocou que disputar a Recopa em julho não fazia muito sentido, e resolveu antecipar o confronto entre os vencedores da Libertadores e da Copa Sul-Americana de 2014. Para a consagração dos Millonarios, que reiteraram sua força com as duas vitórias sobre o San Lorenzo. Após o triunfo por 1 a 0 no Monumental de Núñez, os alvirrubros repetiram o placar no Nuevo Gasómetro. Aproveitaram também para tirar uma onda com o Boca Juniors na comemoração, esquentando ainda mais a rivalidade.

LIBERTADORES: Elias indicou que pode ser um coringa como o Paulinho de 2012

Com a partida sob seu controle, o River Plate não teve muitos problemas para construir a vitória na casa dos adversários. O momento de maior perigo aconteceu aos 36 minutos, em finalização de Caruzzo. Desta vez, a torcida do Papa Francisco ao San Lorenzo não adiantou muito e o goleiro Marcelo Barovero se tornou o responsável por um verdadeiro milagre, salvando o chute à queima-roupa em cima da linha. Já no segundo tempo, Carlos Sánchez se encarregou de anotar o gol do título.

A conquista acabou sendo um desabafo para o River. Afinal, o clube teve que aguentar muitas gozações após perder os dois clássicos para o Boca Juniors na pré-temporada, um deles humilhado por 5 a 0. E o grito de alívio foi direcionado aos rivais. No pódio, os Millonarios cantaram: “Es para vos, es para vos, bostero puto, la puta que te parió”. Raiva traduzida de maneira mais comedida pelo técnico Marcelo Gallardo durante a entrevista coletiva. “Tínhamos que ressurgir depois do que se passou nos torneios de verão, sobretudo contra o Boca. Essa equipe voltou a mostrar sua força para jogar finais. Não tinha que confundir uma partida em que fizemos tudo mal e sofremos”, declarou.

A provocação é um elemento a mais no acirrado momento da rivalidade. Se nos últimos anos os dois gigantes alternaram altos e baixos, passaram a reviver as suas grandes fases recentemente. A goleada do Boca se tornou um troco, após a eliminação para o River nas semifinais da Copa Sul-Americana. E, com os Millonarios campeões e os Xeneizes gastando alto para reforçar o seu time, a expectativa é a de que o clássico possa se repetir nos mata-matas da Libertadores. Seria épico.