A perda de Alex Oxlade-Chamberlain teve um peso considerável na reta final de temporada do Liverpool. Não dá para dizer que os Reds iriam derrotar o Real Madrid com o meio-campista, longe disso, mas ele vinha sendo uma das principais razões à boa campanha na Liga dos Campeões. Vivia o momento mais consistente da carreira, com atuações em alto nível e muita funcionalidade ao sistema de jogo de Jürgen Klopp. A ausência foi suprida, apesar dos problemas de lesões que encurtaram o elenco dos ingleses em um momento de tanta exigência. E, meses depois da contusão no joelho, as notícias oferecidas pelo clube nesta semana indicam que os custos ao jogador serão maiores. Ox deverá perder a temporada 2018/19 praticamente inteira.

LEIA TAMBÉM: No Liverpool, Shaqiri recebe uma inesperada oportunidade de retomar sua carreira

Além da ausência na Champions, Oxlade-Chamberlain também perdeu a Copa do Mundo. Seria um jogador importante na engrenagem de Gareth Southgate, ainda mais considerando que Dele Alli não rendeu bem em uma posição que não é exatamente a sua, pouco influenciando a caminhada da Inglaterra. Nesta semana, entretanto, Jürgen Klopp garantiu que o processo de recuperação do meio-campista será bem mais longo. Segundo o treinador, todos já tinham ciência do tempo que levaria o processo desde o momento em que ele rompeu os ligamentos do joelho. O jogador teria pedido para que as informações sobre a gravidade da lesão e a recuperação não fossem divulgados, para que não atrapalhassem o entorno dos Reds na reta final da temporada.

“Parece que agora é o momento apropriado para dizer às pessoas que a próxima temporada do Ox estará focada em se recuperar e se reabilitar. Nós sabemos disso desde o dia posterior à lesão e, depois da cirurgia bem sucedida, tivemos certeza. Espero que todos tratem esta informação responsavelmente. Não ocorreram mudanças, nenhuma alteração de planejamento. Está exatamente no cronograma que fizemos. A nova informação é que agora estamos dando mais detalhes ao público. É uma atitude típica de Ox. Ele não queria que as notícias se sobrepusessem ao final da temporada. Para ser honesto, achamos que poderíamos esperar e dizer às pessoas num momento apropriado”, apontou o alemão.

“Sua cirurgia, que aconteceu no dia do jogo de volta contra a Roma na semifinal da Liga dos Campeões, foi completamente bem sucedida e a recuperação começou muitíssimo bem. Mas a verdade sobre o assunto é que nós estávamos nos preparando para esta temporada já sabendo que ele não estaria em campo conosco durante a maioria das partidas competitivas. Se ele voltar ainda nesta temporada, será um bônus”, complementou.

O Liverpool conta com duas novidades para o meio-campo, já suprindo lacunas rumo à próxima temporada. Naby Keïta chega do RB Leipzig, em acordo feito meses atrás; enquanto Fabinho foi anunciado no final da temporada passada, trazido do Monaco. Xherdan Shaqiri é o outro reforço dos Reds, para os flancos. Vale lembrar que a faixa central perdeu ainda Emre Can, que não renovou seu contrato e saiu sem custos à Juventus. Klopp apontou que o planejamento ao redor de Oxlade-Chamberlain envolve o longo prazo do clube.

“Esse assunto é muito importante pela maneira como o avaliamos e como é importante àquilo que pretendemos fazer nas próximas temporadas. Por isso o foco está em fazer direito e não apressar nada. Ox está completamente de acordo com este encaminhamento. Ele é uma pessoa maravilhosa e alguém que, mesmo sem jogar, é parte integral do que acontece no clube. Mal posso esperar para vê-lo de volta, mas iremos aguardar e mostrar a paciência requerida para garantir que ele esteja pronto para retomar do jeito que saiu: como um dos jogadores de atuações mais excepcionais no futebol europeu naquele momento”, analisou.

Aos 24 anos, Ox se tornou uma grata surpresa na temporada do Liverpool. O meio-campista chegou sob certas desconfianças, até considerando os €38 milhões gastos em sua contratação. Entretanto, mostrou logo que poderia render muito mais do que aquilo que se via no Arsenal. Serviu como uma alternativa às pontas e, principalmente, ocupou lacunas na faixa central, sobretudo depois da saída de Philippe Coutinho ao Barcelona. Mostrou que não é apenas um jogador de velocidade, preenchendo a intermediária e oferecendo muito empenho. Diante da infelicidade, o jeito é aguardar para que ele possa retomar o fio da meada rumo a 2019/20.