A transferência mais badalada do mercado de transferências na Europa, a ida de Cristiano Ronaldo para a Juventus, ainda causa repercussão. Depois de três jogos e ainda sem gols, o português ainda não marcou. Raúl Albiol, em entrevista ao jornal AS, da Espanha, falou sobre a dificuldade de atuar na Itália, onde ele defende o Napoli. Falou também sobre o seu retorno à seleção espanhola depois de três anos e o que dá para esperar desse novo trabalho.

LEIA TAMBÉM: Nedved: “A chegada de Cristiano Ronaldo aconteceu em um momento perfeito para a Juve”

A primeira grande conquista da Espanha nessa geração foi em 2008, quando venceu a Eurocopa. Dos campeões daquele ano, só restaram dois jogadores no elenco: Sergio Ramos e Raúl Albiol. Perguntado sobre isso, Albiol minimizou: “Há jogadores jovens, mas com um talento excepcional. Não se pode comparar a seleção de 2008 com a de 2018. Uma década de futebol é muito tempo. Mas o que vejo, eu gosto”.

Albiol é uma das novidades de Luis Enrique para esta convocação espanhola. O zagueiro do Napoli estava há três anos afastado do time nacional. Perguntado sobre as novidades, ele disse que pouca coisa mudou. “Logicamente os jogadores, porque há muitos novos. No demais, mudou pouco. Treinamos no mesmo lugar, com horários parecidos. Logo, claro, cada treinador tem seu modo de fazer. Eu conheci Del Bosque e agora voltei com Luis Enrique, pulei Lopetegui”, disse.

Aos 33 anos, Albiol retorna à seleção depois de alguns anos de Napoli em que tem jogado em alto nível. “Essa pergunta [sobre por que ele voltou] é para Luis Enrique, mas eu estou encantado. Nestes anos, não perdi tempo nem baixei a guarda nem um segundo. Tratei de estar no melhor nível na minha equipe, em Nápoles. Na Itália me deu confiança e carinho, e isso me fez crescer como jogador. Sinto que me encontro em um bom momento”, descreveu o jogador.

Na Itália desde 2013, onde atua pelo Napoli, Albiol comentou também a ida de Cristiano Ronaldo para a Juventus. E ele alertou o português, ex-companheiro de Real Madrid. “É verdade que no Calcio o futebol é mais tático e defensivo e também muito físico, mas há que se saber jogar. Cristiano é um grande jogador, com um potencial tremendo. Mas na Itália será mais difícil marcar 40 gols. Além disso, espero que não faça, porque isso seria bom para a Juventus, mas é ruim para o Napoli”, disse o zagueiro.

Em três jogos, Cristiano Ronaldo ainda não conseguiu marcar pela Juventus no Campeonato Italiano. Albiol, porém, não considera que isso seja um sinal que o português não marcará um grande número de gols. “Não confie, no ano passado ele também custou a arrancar com o Real Madrid, não fez gols no começo e no final da temporada acabou outra vez com números esmagadores. Se Cristiano passou a carreira toda fazendo um saco de gols a cada temporada, não é por acaso”, analisou o zagueiro.

A Espanha vai a campo na terça-feira, 11, às 15h45 em duelo com a vice-campeã mundial Croácia pela Liga das Nações. Tanto Albiol quanto Ronaldo voltam a campo pelo Campeonato Italiano no fim de semana. No sábado, o Napoli enfrenta a Fiorentina em casa, enquanto no domingo a Juventus encara o Sassuolo, em Turim. Ronaldo estará descansado, já que ele não participa do jogo de Portugal com a Itália, pela Liga das Nações. O capitão português será poupado.