Um dos maiores desafios para quem produz games de futebol no Brasil é licenciamento. Por aqui, não há uma liga que possa negociar em conjunto a imagem dos clubes, como acontece nas grandes ligas do mundo; não há um sindicato que possa negociar a imagem dos jogadores. Por isso, quando a Konami anunciou parceria com a CBF, queríamos entender por que. André Bronzoni, gerente da marca PES nas Américas, nos esclareceu: o acordo facilita para conseguir as licenças dos jogadores e também de clubes, pensando no futuro.

LEIA TAMBÉM: PES 2017 terá Brasileirão licenciado e lança trailer com clubes e estádios brasileiros

“Facilita bastante coisa não só da parte de jogo, não só da parte extracampo, mas também com os clubes. Vai facilitar bastante coisa na parceria com os clubes, com direitos de imagem dos clubes que eles vão nos ajudar”, contou André Bronzoni, em entrevista concedida à Trivela em evento da Konami em São Paulo, nesta segunda-feira.

A dificuldade de licenciamento já tinha causado problemas ao FIFA, game da EA Sports, que decidiu por tirar todos os times brasileiros do FIFA 2015. Neste ano, a Sports Interactive e a SEGA confirmaram que não irão vender Football Manager 2017 no Brasil por problemas legais e de licenciamento.

A Konami vem fazendo um esforço grande para ter os times brasileiros já há alguns anos. Na disputa de licenciamentos com a EA Sports e o seu FIFA, conseguiu Corinthians e Flamengo com exclusividade e fechou com os clubes brasileiros mesmo no PES 2015, ano que o concorrente resolveu tirar os times brasileiros pelos potenciais problemas legais e de licenciamento.

O acordo com a CBF, que também é de exclusividade, é visto como uma forma de facilitar essa tarefa de buscar clube a clube e jogador a jogador as licenças para incluir no jogo. “Tendo a CBF por trás isso vai ser sensacional. Eles vão nos ajudar a conseguir todos os jogadores para incluir no jogo. Este é um dos maiores benefícios da CBF. E obviamente a chancela da entidade”, explicou ainda o executivo.

A Konami já tinha os clubes brasileiros licenciados para o PES 2017, mas a parceria com a CBF ajuda para que continue assim nas próximas edições. A entidade pode ajudar a, se não centralizar a negociação, tornar o caminho mais curto para que todos os clubes brasileiros e os jogadores estejam presentes no game, sem os problemas legais que todas as produtoras têm enfrentado.

A parceria com a CBF também pode ajudar a ampliar a presença de clubes brasileiros no PES no futuro. Quem sabe até incluir a segunda divisão do Campeonato Brasileiro. “Com certeza [facilita]. É um projeto que nós temos, sim [incluir a segunda divisão]”, afirmou André Bronzoni. É algo que ficaremos de olho para as próximas edições.

Seja como for, o mais interessante é que os clubes brasileiros nunca se uniram para criar a tão falada liga. A Konami, por vias tortas, está tentando facilitar o trabalho de licenciamento, que ainda precisa ser individual, e isso pode facilitar a união entre os clubes para negociação. Seria no mínimo curioso.

Sai Silvio Luiz, entra Milton Leite como narrador

Uma das marcas das últimas seis edições do Pro Evolution Soccer foi a narração em português de Silvio Luiz, um dos narradores mais conhecidos do Brasil. Seus bordões, tão conhecidos por quem acompanha futebol, não estarão mais no jogo a partir do PES 2017. Aos 82 anos, o narrador abre espaço para outra figura muito conhecida do futebol: Milton Leite, do SporTV.

Narrar games de futebol não será uma novidade para Milton Leite. Ele esteve no FIFA 99 e ficou até FIFA 06. Será, portanto, o primeiro narrador a participar das duas principais franquias de games de futebol do mundo, FIFA e PES.

Milton Leite, aliás, esteve no evento da Konami no centro de São Paulo para anunciar, com sua voz, algumas das novidades do jogo. Ele estará acompanhado do comentarista que está na série PES desde 2010, Mauro Beting. Ele não esteve presente no evento, mas gravou um vídeo que foi exibido elogiando Silvio Luiz e a sua participação marcante e dando as boas vindas ao novo companheiro.

Red Bull Brasil no PES 2017

A novidade mais inusitada da Konami foi a inclusão de mais um clube brasileiro além dos 20 da Série A: o Red Bull Brasil. Isso mesmo, o clube paulista, que disputou a Série D. O evento foi realizado na Red Bull Station, que fica na Praça da Bandeira, em São Paulo e, portanto, a sua escolha não foi por acaso.

O presidente do clube esteve no evento para agradecer a parceria e foi exibido um vídeo com imagens do Red Bull Brasil enfrentando outros clubes brasileiros do game. Inclusive jogou, ele mesmo, com outros presentes no evento em uma das TVs que tinham a versão demo de PES 2017 em diversos consoles Playstation 4 espalhados pelo local.

Considerando a parceria com a CBF e a ideia de ter mais clubes no jogo, é de se esperar que em breve tenhamos clubes mais relevantes que o Red Bull Brasil – por exemplo, os da segunda divisão. Se não em uma DLC lançada ao longo do ano, ao menos na próxima versão.

VEJA: Milton Leite falando sobre narrar o PES 2017:

Chamada Trivela FC 640X63