A notícia que os torcedores do Atlético de Madrid gostariam de ouvir, enfim, veio nesta quinta-feira, e da boca do próprio Antoine Griezmann. Com certas pompas, o atacante anunciou sua decisão em permanecer no clube para a próxima temporada. Apesar de todas as investidas do Barcelona, ou mesmo do princípio de vaias na rodada final do Campeonato Espanhol, o francês reitera seu compromisso com os colchoneros. “Reforço” mais do que bem-vindo ao time de Diego Simeone e que amplia a adoração do camisa 7 junto aos torcedores.

Ao final da temporada, conforme as notícias da imprensa espanhola, Griezmann já havia decidido permanecer no Atlético de Madrid. A rodada derradeira de La Liga deixou interrogações, diante da reação intempestiva de alguns torcedores no Wanda Metropolitano, que vaiaram o atacante. Diego Godín e Simeone indicaram que o francês ficaria, assim como outros companheiros, como Fernando Torres, ofereceram seu apoio dentro de campo. Com os ânimos menos exaltados, e também certo esforço do Atleti em segurar seu protagonista, ele ficará.

A contratação recente de Thomas Lemar, que contou com o auxílio de Griezmann para convencer o ponta, era um indício que o atacante poderia permanecer. Outra parte importante é a negociação do novo contrato do camisa 7, em tratativas que se estenderam ao longo dos últimos meses. O novo vínculo ainda não está assinado, mas oferecerá um aumento salarial evidente, ainda que não cubra a proposta do Barcelona. A manutenção do elenco é outro chamariz ao francês, sob a promessa de que o Atleti possa melhorar os resultados. Por fim, outra perspectiva positiva é o investimento em novas estruturas para a preparação dos jogadores, uma queixa do artilheiro.

Como o novo contrato ainda não foi assinado, e isso deve apenas se desenrolar depois da Copa do Mundo, o Atlético de Madrid não fez anúncios oficiais. Apenas reproduziu um vídeo idealizado pelo próprio Griezmann, para confirmar a sua continuidade. A televisão espanhola veiculou a superprodução. O material foi criado pelo Kosmos Studios, que, segundo o jornal ABC, é propriedade de Gerard Piqué.

Esportivamente, o ganho do Atlético de Madrid é inegável. Griezmann não viveu a sua melhor temporada, mas ainda assim teve ótimos números em 2017/18, com 29 gols e 15 assistências em 49 partidas. Mais do que isso, é difícil imaginar que os colchoneros tivessem bala na agulha para gastar com um jogador que oferecesse o mesmo impacto. Não à toa, Lemar pinta como o maior negócio da história dos rojiblancos, comprado por um valor estimado por €70 e 80 milhões. Em teoria, será um jogador importante, mas ainda assim um escudeiro ao protagonista.

No entanto, a mensagem que o Atleti transmite vai além. É uma prova de força de um clube que, nos últimos anos, acostumou-se a ser vendedor. Os principais destaques dos colchoneros, ano a ano, acabaram saindo. Com a permanência de Griezmann, a diretoria mostra que não é mais o caso. Tudo bem, a decisão dependeu de condições excepcionais e, principalmente, da vontade do jogador ao recusar uma proposta salarial melhor. Mas não deixa de ser um sinal de que os rojiblancos pretendem se manter brigando pelo topo do Campeonato Espanhol e fazendo grandes campanhas nas competições europeias – de preferência, indo além da Liga Europa. Agora, com um elenco realmente competitivo desde o início da temporada

E o mais interessante será observar como será o reencontro de Griezmann com a torcida do Atlético de Madrid. Se foi uma parcela que o vaiou no Wanda Metropolitano, neste momento, certamente estão arrependidos. A permanência do camisa 7 merece um bocado de consideração. É um respeito mútuo que se constrói. O atacante dá um passo contundente para ser tratado um ídolo histórico dos colchoneros.