Ángel Di María viveu uma ótima temporada de estreia no Paris Saint-Germain, mas vem caindo de produção nos últimos meses. Em meio à instabilidade atravessada no Parc des Princes, o argentino não tem ajudado tanto, aparecendo pouco nos momentos de maior pressão. Não à toa, perdeu o posto de titular no time de Unai Emery desde a contratação de Julian Draxler, que precisou de poucos minutos em campo para mostrar serviço. A resposta do camisa 11, ao menos, aconteceu logo na primeira chance para retornar à escalação: fez dois gols na goleada por 4 a 1 sobre o Bordeaux, que valeu a classificação à final da Copa da Liga Francesa.

Mesmo sendo um jogo de copa, Unai Emery escalou boa parte de seus titulares, mas voltou a dar espaço a Di María na ponta esquerda – Draxler, sentindo dores na panturrilha, não foi nem mesmo relacionado. O argentino abriu o placar aos 19 minutos, com uma belíssima cobrança de falta. O Bordeaux até empatou, com Diego Rolán, mas Edinson Cavani retomou a vantagem na segunda etapa com dois gols. Já no final, Di María tratou de fechar a conta, com um chute certeiro de fora da área. Na decisão, o PSG pega Monaco ou Nancy.

Di María necessita principalmente de regularidade. Os bons desempenhos se alternam demais com as atuações apagadas, em partidas nas quais deveria aparecer mais. A chegada de Draxler é um choque de realidade e tanto. Os dois podem muito bem se combinar na mesma equipe, embora a briga pelas pontas esteja acirrada, com a preferência a Lucas Moura na direita – o que, no fim das contas, vinha provocando o deslocamento do camisa 11 à esquerda. Até pelo impacto inicial, a balança pende para o alemão. Momento para o argentino responder, como fez nesta terça.