A expectativa era grande e o público também. Mais de 30 mil pessoas compareceram ao estádio Marc’Antonio Bentegodi, em Verona, para a estreia de Cristiano Ronaldo no Campeonato Italiano. A Juventus, claro, amplamente favorita diante de um adversário que deve brigar para não cair. O jogo acabou sendo muito movimentado, com duas viradas, mas o português passou em branco. A Juventus conseguiu uma virada suando muito, nos acréscimos, e venceu por 3 a 2. Ainda que não tenha sido um grande jogo da Juventus, o time mostrou qualidades que podem muito bem ser aprimoradas, especialmente no que se refere ao encaixe de Cristiano Ronaldo no time e ao rendimento de Paulo Dybala, que ficou muito sumido no jogo.

LEIA TAMBÉM: Sem acordo com emissoras de TV, Campeonato Italiano lança serviço pago por streaming na internet

O primeiro jogo oficial de Cristiano Ronaldo pela Juventus teve uma formação bastante -ofensiva e o português como centroavante: Szczesny; Cancelo, Bonucci, Chiellini e Alex Sandro; Khedira e Pjanic; Cuadrado, Dybala e Douglas Costa; Cristiano Ronaldo.

Logo a três minutos, depois de uma bola pipocando na área, quem marcou foi Sami Khedira, aproveitando a sobra e chutando de pé esquerdo para abrir o marcador. Ronaldo, flutuando pelo ataque, não ficava parado. Buscava o jogo, tentava a conexão com os companheiros, em todos os lados do campo. Participou bastante do jogo, mas não tinha uma chance clara para marcar. E o Chievo arrancou o empate. Emanuele Giaccherini cruzou da esquerda e Mariusz Stepinski, entre Bonucci e Chiellini, subiu livre para cabecear e empatar o jogo, aos 38 minutos.

No segundo tempo, o Chievo pulou na frente. Giaccherini fez a jogada para cima de Cancelo, que fez a falta, na interpretação do árbitro. Pênalti para o Chievo, que o próprio Giaccherini cobrou e marcou: 2 a 1. O atacante não comemorou: ele é ex-jogador da Juventus. As coisas se complicaram para o time de Turim àquela altura, 10 minutos do segundo tempo.

Ronaldo foi muito acionado no jogo e foi tentando. Teve chances, mas sempre muito bem marcado, não conseguia uma finalização limpa. Tentou de falta, tentou em chutes rápidos, mas o português sofria com a falta de uma chance para chamar de sua. O técnico Massimiliano Allegri fez mudanças: promoveu a entrada de Federico Bernardeschi no lugar de Cuadrado e Mario Manduzkic no lugar de Douglas Costa. Tentou dar mais poder de fogo ao time.

A Juventus, então chegou ao gol de outra forma: em escanteio cobrado por Bernardeschi, Bonucci, reestreando pelo time, tocou de cabeça para o gol e igualou o marcador em 2 a 2, aos 30 minutos. O gol acabou sendo atribuído a Mattia Bani.  Restavam 15 minutos e mais os acréscimos para os visitantes buscarem a virada e, quem sabe, um gol de Ronaldo.

Cristiano Ronaldo na sua estreia pela Juventus, contra o Chievo (Foto: Getty Images)

Como esperado, a Juventus partiu para cima nos minutos finais. Em um cruzamento para dentro da área, Cristiano Ronaldo disputou com o goleiro Sorrentino, que ficou caído. Manduzkic aproveitou a bola no alto para tocar de cabeça. A zaga ainda tirou, mas a bola estava dentro do gol, algo que só o VAR conseguiu ver. Só que o VAR alertou o árbitro sobre uma possível falta do atacante português em Sorrentino. Ele foi olhar com os próprios olhos e anulou o gol, dando a falta de Ronaldo.

Já nos acréscimos, a Juventus arrancou o gol da vitória. Alex Sandro fez a jogada pela esquerda, cruzou rasteiro para a área e Bernardeschi tocou para marcar 3 a 2 e dar a vitória ao time de Turim. Foi o placar final. Depois do apito que encerrou o jogo, Cristiano Ronaldo estava bem sorridente e abraçou muitos companheiros, comemorando a vitória. Foi só o primeiro jogo dele no novo clube, ainda precisando de melhoras, mas com boas perspectivas.