Alguns dos técnicos do mais alto nível da Europa pediram à Uefa para revisar a regra do gol fora de casa em competições do continente. O pedido acontece no Elite Coaches Forum (Fórum dos Técnicos de Elite), na sede da Uefa. A reunião é realizada anualmente em Nyon, na sede da entidade que dirige o futebol europeu. A entidade reúne alguns técnicos todo ano para discutir questões do futebol entre eles e com a Uefa, além de fazer uma revisão técnica das competições.

LEIA TAMBÉM: Uefa distribuirá € 2 bilhões na Champions League e levanta mais preocupações com desequilíbrio

Entre os pontos discutidos, além da revisão do gol fora de casa, também foi tratado sobre unificação do fim da janela de transferências, o uso do VAR e a quarta substituição na prorrogação. Em anos anteriores, o fórum levou à remoção do gol de ouro, aumento dos testes de anti-doping, criação da Uefa Youth League (A Liga dos Campeões da base), além de dar vaga na Champions League ao campeão da Liga Europa.

Os técnicos que participaram da reunião foram Massimiliano Allegri (Juventus), Carlo Ancelotti (Napoli), Rafael Benítez (Newcastle), Sérgio Conceição (Porto), Paulo Fonseca (Shakhtar Donetsk), Rudi Garcia (Olympique de Marseille), Şenol Güneş (Beşiktaş), Julen Lopetegui (Real Madrid), José Mourinho (Manchester United), Diego Simeone (Atlético de Madrid), Thomas Tuchel (Paris Saint-Germain) e o ex-técnico do Arsenal, Arsène Wenger.

“Os técnicos acreditam que marcar gols fora de casa não é tão difícil quanto costumava ser – eles acham que a regra deveria ser revisada e isso é o que nós faremos. O peso dos gols marcados fora de casa não é o mesmo de muitos anos atrás, quando a regra foi introduzida, o que para muitos é até considerada contra-produtiva e isso, somado a encorajar os times a atacar, levou  os times da casa a se defenderem para evitarem sofrer gols que podem ser fatais”, afirmou Giorgio Marchetti, diretor de competições da Uefa.

A regra do gol fora de casa foi introduzida na Recopa (a Copa dos Campeões de Copas) em 1965 como uma alternativa ao sorteio ou a fazer uma partida em campo neutro caso os times terminassem empatados em pontos e em saldo de gols. Quando introduzida, a regra levava em conta as dificuldades de viajar até o campo do adversário, além da própria dificuldade de se jogar no estádio rival. É exatamente isso que é contestado pelos técnicos, que consideram que esse aspecto mudou muito no futebol atual.

Além de pedir a revisão da regra dos gols fora de casa, os técnicos querem também que a janela de transferências termine ao mesmo tempo nas principais ligas europeias. Nesta temporada, a janela fechou primeiro na Inglaterra, no dia 9 de agosto; depois na Itália, no dia 17 de agosto; por fim, entre as principais ligas, Alemanha, Espanha e França fecharam a sua janela no dia 31 de agosto.

“Os técnicos são da opinião que deveria ter uma janela unificada e que ela deveria fechar antes que as competições comecem”, afirmou Marchetti. “A ideia seria tentar e alinhá-las”. Esse foi um ponto muito importante nesta temporada, com os ingleses sem poder contratar por muito tempo. Com a janela fechando antes do início dos jogos, os técnicos podem preparar melhor o time e, além disso, não cria uma distração que é sempre um problema em termos de janela de transferências.