Recém-promovido após 25 anos longe da elite, o Nîmes começou o seu retorno ao Campeonato Francês com um estrondo. Aos 30 minutos do segundo tempo, estava perdendo por 3 a 1 do Angers. Pouco depois, quando já havia descontado, ficou com um jogador a menos. E mesmo assim conseguiu concretizar a virada e vencer por 4 a 3, com um gol às vésperas dos acréscimos.

LEIA MAIS: Potência de outros tempos, o Nîmes encerrou uma espera de 25 anos para voltar à Ligue 1

O Nîmes destacou-se no futebol francês no final da década de cinquenta, quando foi vice-campeão três vezes seguidas. Por volta da mesma época, chegou a duas finais da Copa da França, mas foi derrotado em ambas. Em 1971/72, voltaria a ficar em segundo lugar na liga nacional, antes de oscilar entre divisões nos anos oitenta.

Em 1991, retornou à primeira divisão, com um projeto ambicioso, que contou com jovens Eric Cantona e Laurent Blanc. Rebaixado dois anos depois, precisou esperar muito tempo para conquistar o acesso à Ligue 1, com o segundo lugar da Ligue 2, e mostrou logo na primeira rodada que valoriza a oportunidade de se testar contra os melhores times do país.

Uma curiosidade da partida foi ela ter acontecido no Estádio Raymond Kopa, do Angers, nome do craque do Stade de Reims que duas vezes obrigou o Nîmes a se contentar com a medalha de prata do Campeonato Francês. Logo aos 4 minutos, Sada Thioub abriu o placar para os visitantes. Os anfitriões não demoraram a fazer valer sua experiência maior na elite e empataram com Pierrick Capelle, ainda no primeiro tempo.

Pouco depois do intervalo, Ismaël Traoré teve um gol anulado por impedimento. Não fez tanta falta porque Angelo Fulgini fez o 2 a 1 na sequência. O camaronês Stéphane Bahoken, recém-contratado do Estrasburgo, deu a assistência para os dois gols. Traoré, agora em posição legal, ampliou para 3 a 1.

A doideira começou aos 31 minutos do segundo tempo. Tony Briançon deu um lindo passe rasteiro, atravessando todo o campo de ataque, e colocou Clément Depres na cara do gol para descontar. Cinco minutos depois de levar o primeiro cartão amarelo, Florian Miguel levou o segundo e foi expulso, por falta em Jeff Reine-Adélaide.

Com um a menos, fora de casa, a dez minutos do fim, e ainda perdendo por um gol de diferença, o Nîmes não desistiu. Logo depois de Harrison Manzala perder um gol feito para o Angers, quase sem goleiro, livre e na entrada da pequena área, Thioub fez uma bela jogada pela direita. Após uma meia-lua na marcação, cruzou para a segunda trave, onde Renaud Ripart apareceu para empatar.

O momento de êxtase aconteceu aos 43 minutos. Ripart, desta vez, deu o passe. Cruzou da esquerda para o camisa 9 Clément Depres, que deu um peixinho para cabecear a bola, que ainda bateu no marcador antes de balançar as redes. Os jogadores do Angers reclamaram de impedimento de Ripart antes do centro. Estreando nesta temporada da Ligue 1, o assistente de vídeo confirmou a posição legal para o árbitro Antony Gautier, e o Nîmes venceu na elite francesa pela primeira vez em 25 anos. E que vitória.

A reação do Twitter oficial do clube, que não exige francês para ser entendida, diz tudo:

.

.