A Championship teve uma “final” nesta sexta-feira. Cardiff City e Wolverhampton se enfrentaram em Gales, em jogo decisivo para o topo da tabela na segunda divisão inglesa. Os dois times não são exatamente concorrentes entre si, mas sim favoritos às duas vagas diretas no acesso. Ainda assim, duelavam pela tranquilidade na tabela. Uma vitória dos Pássaros Azuis deixaria os dois times com a mesma distância aos adversários que vêm de baixo. Já se os Lobos triunfassem, abririam nove pontos de vantagem e praticamente assegurariam não só a promoção à Premier League, como também o título. Exatamente o que aconteceu. O Wolverhampton volta para casa com a suada vitória por 1 a 0, mesmo tendo dois pênaltis marcados contra si (e desperdiçados) nos acréscimos do segundo tempo. Épico que certamente marcará a campanha redentora.

O gol da vitória do Wolverhampton saiu já na segunda etapa. Aos 25 minutos, em falta na entrada da área, Rubén Neves bateu no capricho e mandou a bola no ângulo do goleiro Neil Etheridge. Pintura que dava ótima vantagem aos Lobos, embora as ameaças tenham sido evidentes nos acréscimos. Aos 48, Mike Dean assinalou a infração dentro da área. Gary Madine não cobrou com tanta força, mas bateu rente ao chão, mirando a lateral da rede. O goleiro John Ruddy saltou um pouco antes e acertou o canto, operando um verdadeiro milagre. Já aos 51, o apito soou novamente. Junior Hoilett pegou a bola e, apesar de tirar do alcance de Ruddy, carimbou o travessão.

Ao término do jogo, logo depois do rebote da segunda penalidade, o Wolverhampton comemorou como se tivesse ganhado o título. Os jogadores começaram a se abraçar, enquanto a comissão técnica e os reservas também invadiram o campo. O técnico Nuno Espírito Santo era um dos mais empolgados com o resultado. E isso desagradou Neil Warnock, comandante do Cardiff City, que se recusou a cumprimentar o lusitano. O comandante dos Lobos pediu desculpas, não aceitas pelo adversário: “Acho que isso estava totalmente fora de ordem, foi uma desgraça. Usei palavras fortes e sabia o significado de cada uma delas. Ele deve aprender que no futebol britânico você precisa ter boas maneiras e classe quando ganha um jogo”. A emoção trocada por uma assepsia desnecessária.

O que importa é que o Wolverhampton está a cinco pontos do acesso. Os Lobos somam 89 pontos, à beira de retornar à Premier League após seis anos longe da elite – e com uma queda à terceira divisão neste período. O retorno, condizente à grandeza do histórico clube, ainda renderá uma bolada. Já o Cardiff tem 80 pontos. Precisa secar o Fulham, com 75, e o Aston Villa, com 73, que ainda entram em campo no final de semana. Depois desta rodada, restarão mais cinco, além dos playoffs que definirão o terceiro promovido.